Entrevista com a autora Ju Magaldi


Ju Magaldi, mineira de 44 anos, mora em Juiz de Fora cidade onde nasceu. Cientista

social de formação, antropóloga por paixão, sempre teve a literatura como um lugar sagrado em sua vida. Leitora compulsiva e escritora iniciante. Lançou em março de 2021 sua primeira novela: "Múltiplos Amores", que compõe a antologia organizada pela autora Edna Nunes, intitulada: "Dama-da-Noite". Em abril lançará seu primeiro romance "Eclipse", o primeiro livro da Série "Dark Angels", sobre uma banda de Rock. Confira mais sobre a autora na entrevista a seguir.


O que podemos esperar em suas histórias?

Em minhas histórias o romance sempre está presente na suas mais diversas formas. Em meio ao amor, o drama costuma se fazer notar, mas traz consigo pitadas de humor e mistério.


Qual foi a sua maior inspiração no começo da escrita?

Eu sou uma leitora voraz, até 2019 transitava quase, exclusivamente, entre autores

internacionais. Depois disso ganhei um Kindle e vi se descortinar um amplo universo

de autores nacionais independentes. Passei a ler cada vez mais e-books nacionais e

tive a oportunidade de dialogar com autores que ampliaram a minha vontade de tornar

pública o material que já estava produzindo.


Quando percebeu que escrever era o que mais te alegrava?

Após o nascimento da minha segunda filha, quando estava procurando um momento e

um espaço em que pudesse dedicar a mim mesma.


Se você ficasse presa numa ilha e pudesse escolher três livros, quais seriam?

"A Casa dos espíritos" da Isabel Alende, "Vermelho, Branco e Sangue Azul" da Casey McQuiston e "Lead" da Kyllie Scott


Qual livro desperta memórias de sua infância? Por que?

A Bolsa Amarela de Ligia Bojunga, lembro como eu me identifiquei com a protagonista e seus dilemas.


Qual seria a trilha sonora ideal para os seus livros?

Minhas histórias sempre tem trilha, mas elas variam, já foram MPB, Rock e acho

que o importante é que componham a trama


Algum livro já te deixou com o coração apertado por alguns dias?

Sim, Minha Princesa é Um Príncipe de Lucas de Souza, Brilho Eterno da Edna

Nunes, e Inesquecível da Andy Collins.


Como incluir pautas de identidade, antirracistas e sociais dentro de um romance?

Entendendo que esses assuntos compõe o nosso cotidiano e permeiam as

relações humanas.


Qual o papel da literatura na formação de um cidadão?

Ler aumenta o domínio da pessoa sobre a linguagem, ampliando o seu

vocabulário e capacidade de argumentação. Desta forma a sua capacidade de

interagir e compreender seu contexto social, seus direitos e deveres aumenta

muito.


Você acha que exista um limite para o autor(a) expor suas visões políticas em um

romance?

Não, acho importante o autor se posicionar.


Qual série de livros você gostaria de poder ver na tv?

A Série Stage Dive da Kyllie Scott, para inha felicidade a Passionflix divulgou

que está filmando o primeiro livro, Play.


Qual a sua expectativa para a Sevai 2021?

As melhores possíveis, ampliar a minha circulação no universo dos autores nacionais

independentes, divulgar meus livros e dialogar com os leitores.


Você pode acompanhar o trabalho de Juliana em seu Instagram e encontrar seus livros na Amazon.

14 visualizações0 comentário