Entrevista com a autora Izzie Góes


Escritora em evolução, aprendendo sobre a arte de escrever, mas desde sempre apaixonada por livros, músicas e seriados. Meu primeiro romance – Um Dia de Sol – nasceu de uma brincadeira entre amigas, que ganhou vida, forma, força. Leitora compulsiva, escritora visceral que não se preocupa em agradar, apenas em criar as histórias de maneira que elas sejam críveis. Descubra mais sobre a autora na entrevista abaixo


Quem é Izzie Góes? O que podemos esperar em suas histórias?

Cansei de ler mocinhas bobas e romances com abusos. Escrevo mulheres fortes, de todas as idades, classes, raças, experiências, vivências. Minhas histórias são romances de suspense sexy, são com adultos, algumas envolvem mistérios, guerras, conspirações, mas basicamente são histórias de mulheres fortes.


Existe algum autor que todo mundo ama e você não?

Vários, nossa, uma lista enorme. Tem muito autor que as pessoas acham fantástico e eu acho chato. Assim como tem um monte de autores que eu amo e as pessoas não gostam.


Qual foi a sua maior inspiração no começo da escrita?

Escrever é uma forma de libertação, de liberação, uma maneira de desestressar, de tirar o peso do dia a dia. Sempre lidei com pressão no trabalho, sempre tive superiores exigentes. As duas maneiras que encontrei de liberar a tensão, de maneira saudável, foram beber com as amigas. Nada como uma roda de samba, risadas e um chopp para melhorar o dia. E escrever.


Quando percebeu que escrever era o que mais te alegrava?

Escrever não é o que mais me alegra, mas é uma das alegrias da minha vida.


Se você ficasse presa numa ilha e pudesse escolher três livros, quais seriam?

"O Poderoso Chefão", "Gone with the Wind" e "Crônicas de Repórter".


Para você, qual o maior casal na literatura?

Depende da época, do que ando lendo, do meu nível de romantismo. Pode ser Kay Adams e Michael Corleone. Mamma e Dom Corleone. Lucy e Sean. Scarlett e Rett, Aragorn e Arwen. A Bela e a Fera.


Se pudesse transformar um livro em filme, qual seria?

"As Crônicas Vampirescas", Anne Rice. Darkyn, Lynn Viehl.


Qual autor(a) independente você indicaria hoje sem pensar duas vezes?

Nossa, são tantas amigas nessa jornada. Ana Rita Cunha, Márcia Lima, Nina Reis.


Como você acha que serão os livros do futuro?

O futuro é agora. Já temos leitores digitais. De acordo com "Neuromancer" de William Gibson, pode ser possível implantar chip com os livros e eles serem absorvidos de maneira automática.


Tem algum livro que você pensa “poxa, gostaria de ter escrito”?

Vários. Nossa. De cara? "O Poderoso Chefão".


O que você mudaria no mercado literário hoje?

No brasileiro? Melhores editores, mais agências capacitadas a ajudar e encaminhar escritores iniciantes. Cursos para escritores.


Se pudesse juntar três personagens de histórias diferentes, quais seriam e qual o gênero desse livro? Não vale Frankenstein.

Lucy Kincaid, Sherlock Holmes e Hercule Poirot.


Como incluir pautas de identidade, antirracistas e sociais dentro de um romance?

Não há obrigação de se incluir esses temas, não tem que forçar. Fala-se do que se acredita, do que se vive. Forçar a inclusão de temas sociais dentro de um romance pode deixar a história pobre, pela falta de intimidade do autor com o tema.


Qual o papel da literatura na formação de um cidadão?

Ler abre fronteiras. Quem lê tem um melhor entendimento do mundo a sua volta.


Como você vê o protagonismo feminino na literatura nacional?

O Brasil sempre produziu grandes escritoras (Clarice Lispector, Rachel de Queiroz, Lygia Fagundes Telles, Carolina de Jesus). Dependendo da área que se prefere, do gênero que mais agrada a presença feminina é menor do que aparenta. Essa visibilidade no romance romântico brasileiro é muito bem-vinda.


Qual cena mais te marcou em um livro?

A próxima e nenhuma. Othelo e Dêsdemona. Emília ganhando vida e falando pelos cotovelos. A morte de Napoleão. Bombeiros combatendo um incêndio florestal. Uma mulher descobrindo que é forte o suficiente para sair de um relacionamento abusivo. Pode ser uma cena clássica, pode ser um conto simples. Quando bem escrita qualquer cena marca.


Qual a sua expectativa para a Sevai 2021?

Interagir com outros profissionais da escrita, aumentando o alcance da literatura, mostrando aos possíveis leitores a qualidade da literatura contemporânea brasileira.


Você pode acompanhar o trabalho de Izzie em seu Instagram e encontrar seus livros na Amazon.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo