Entrevista com a autora Fernanda Emery


A autora Fernanda Emery começou a escrever devido a crises de terrores noturnos.

Como sua personagem Carolina, ela foi abusada na infância, e isso desencadeou as referidas crises, das quais vivenciava os abusos como se estivesse realmente acontecendo. Em uma dessas crises, resolveu seguir o conselho de uma psicóloga e colocar tudo no papel. Sua ideia era mostrar ao marido, para que ele tivesse a dimensão do que ela estava passando. Foi então que seu esposo sugeriu transformar aquelas palavras em livro e assim surgiu Aprisionada ao Passado. Quando começou a postar no Wattpad, seu intuito era apenas colocar pra fora tudo que havia guardado por anos. Ela pesquisou e pegou todos os denominadores comuns entre as vítimas e construiu Carol de Aprisionada ao Passado. Só que uma das leitoras foi em seu privado e disse que o livro estava ajudando-a, e isso fez com que Fernanda Emery levasse a escrita a sério e tomasse pra si certas bandeiras, tais como: A luta para ser feliz, mesmo tendo sofrido abuso sexual, a importância de buscar ajuda de um profissional para tratar o abuso, a depressão entre outras coisa. Descubra um pouco mais sobre a autora na entrevista abaixo


Quem é Fernanda Emery? O que podemos esperar em suas histórias?

Fernanda é uma pessoa louca, bagunceira e que ama viver, ela que acredita que pode ajudar outras pessoas através de seus livros, neles não faltam intensidade, personagens reais e assuntos de relevância.


Qual foi a sua maior inspiração no começo da escrita?

Foi saber que meu livro estava ajudando vítimas de abuso sexual infantil a buscar ajuda e a acreditar que poderiam ser felizes.


Já deixou de ler por preconceito com algum gênero?

No início da minha vida de leitor evitava hot, aí o esposo comprou o livro "Peça me o que quiser" achando que era romance leve, depois que finalizei o primeiro capítulo tirei todo meu preconceito e viciei em hot por um bom tempo.


Quando percebeu que escrever era o que mais te alegrava?

Quando vi que através da minha escrita eu poderia dar voz e ajudar outras pessoas.


Se você ficasse presa numa ilha e pudesse escolher três livros, quais seriam?

"A hospedeira" para refletir sobre a humanidade, "Entre Quatro Paredes" da B A Paris para poder reler e surtar com hipóteses e "Apaixonando-se pela Tempestade" para poder rir muito.


Qual clichê não pode faltar de forma alguma em um romance?

Os personagens se odeiam no início.


Qual o seu clássico favorito?

Orgulho e Preconceito.


Se pudesse transformar um livro em filme, qual seria?

Minha série Passados Marcantes: Aprisionada ao Passado, Desvendando o Passado e Apaixonando-se pela Tempestade.


Na sua biblioteca não podem faltar quais gêneros?

Romance de época e Thriller psicológico.


Qual o personagem mais engraçado que você já leu?

Collin da Tessa Dare e Amanda de "Apaixonando-se pela Tempestade"


Tem algum livro que você pensa “poxa, gostaria de ter escrito”?

Vários, haha "Entre Quatro Paredes" é um deles.


O que você mudaria no mercado literário hoje?

A valorização dos autores iniciantes.


Se pudesse juntar três personagens de histórias diferentes, quais seriam e qual o gênero desse livro? Não vale Frankenstein.

Gillian de "Fúria Domada", Peregrina de "A Hospedeira" e Darcy de "Orgulho e preconceito", faria um livro do gênero fantasia.


Qual a sua expectativa para a Sevai 2021?

As melhores, espero que nesse ano eu possa lançar meu físico na Sevai e que possa fazer algumas parcerias


Você pode acompanhar o trabalho de Paula em seu Instagram e encontrar seus livros na Amazon.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo