Entrevista com a autora Camila Alkimim


Embora seja graduada em biomedicina e tenha atuado por vários anos em sua área, a paixão pela literatura sempre esteve presente em sua vida e no ano de 2009 começou a escrever pequenos contos por diversão, para presentear as amigas. Em 2016, seu romance de estreia “O amor não tem regras” foi publicado na Amazon. Desde então, muitas outras histórias assinadas por ela estão disponíveis na plataforma. Descubra um pouco mais sobre Camila na entrevista abaixo.


Quem é Camila Alkimim? O que podemos esperar em suas histórias?

Camila Alkimim é uma mulher que cresceu rodeada de livros e de amor, não apenas através das páginas, mas também por sua família. Finais felizes, definitivamente isso é algo que os leitores encontrarão em minhas histórias, além de muitas doses de romance, que vão desde os mais apaixonados, aos mais quentes.


Qual foi a sua maior inspiração no começo da escrita?

Colleen Hoover foi a minha maior inspiração. A maneira como ela é capaz de envolver e prender o leitor foi algo que fez eu me apaixonar pelos livros dela, além de despertar o desejo de poder fazer o mesmo com os meus leitores.


Quando percebeu que escrever era o que mais te alegrava?

Apesar de escrever desde 2009, só fui descobrir o quão mágico e incrível é esse poder de criar histórias em 2016, quando publiquei o meu primeiro livro e, mais do que isso, descobri que haviam pessoas se interessando e lendo.


Para você, qual o maior casal na literatura?

Mr. Darcy e Elizabeth.


Qual cena mais te marcou em um livro?

Uma cena de batalha no desfecho da série Trono de Vidro.


Qual foi o livro que marcou seu 2020?

Verity, da Colleen Hoover.


Qual o maior perrengue que passou sendo uma autora independente?

Como já estou no mercado há alguns anos, acredito que os perrengues diminuíram, mas entender como tudo funcionava no início, sem dúvidas foi um grande perrengue.


Qual série de livros você gostaria de poder ver na tv?

Trono de vidro, da Sarah J. Maas.


Qual autor(a) independente você indicaria hoje sem pensar duas vezes?

Aretha V. Guedes. Ela possui ótimas histórias, é uma autora versátil, eu diria.


O que fazer quando no meio da leitura você percebe que o livro é chato?

Abandono sem dó. Como a lista de leitura é gigantesca, opção não falta.


Qual a maior vantagem de ser um autor(a) independente?

Ter a liberdade de escolher como trabalhar e quando lançar.


Na sua biblioteca não podem faltar quais gêneros?

Romance contemporâneo, fantasia e thriller.


Tem algum livro que você pensa “poxa, gostaria de ter escrito”?

Beleza Perdida, da Amy Harmon.


Já se decepcionou com algum final?

Sim, "Cidades de papel".


Qual é o seu coadjuvante favorito? E se ele fosse o protagonista, o que mudaria na história que faz parte?

Dorian, de Trono de Vidro. Eu daria mais voz ativa a ele, é um personagem muito singular e com muito potencial a ser explorado.


Já pensou em escrever algo que fosse totalmente fora de sua zona de conforto?

Sim, uma história de fantasia, mas infelizmente os leitores não parecem consumir livros desse gênero escrito por autores nacionais. Uma pena.


Se você ficasse presa(o) numa ilha e pudesse escolher três livros, quais seriam?

"A maldição do tigre", "Na ilha" e "A hospedeira". Livros que de alguma maneira poderiam me ajudar a passar por esses tempos difíceis.


Qual a sua expectativa para a Sevai 2021?

As melhores possíveis. Acompanhei a primeira edição como espectadora e estou muito feliz de fazer parte esse ano. Sem dúvidas a troca que há entre autores e parceiros é algo incrível.


Você pode acompanhar o trabalho de Camila em seu Instagram e encontrar seus livros na Amazon.